Buscar

Profissionais de educação física buscam formação para desenvolver aulas inclusivas

Educadores elaboram estratégias pedagógicas de eliminação de barreiras após aprendizado em cursos de formação continuada.


Foto: Pat Albuquerque


Educadores e gestores escolares têm buscado formação continuada em educação inclusiva para desenvolver uma educação de qualidade para todas e todos, por meio, por exemplo, do planejamento de aulas acessíveis.


É o caso de Carlos Magno Rodrigues, professor de educação física que desenvolveu estratégias pedagógicas para a eliminação de barreiras em escolas do sertão paraibano, após realizar inúmeras formações em educação inclusiva e concluir alguns cursos, como o Portas abertas para inclusão.


Nas atividades que desenvolveu na EEEFM João Silveira Guimarães e na EMEIEF Dr. Jarques Lucio da Silva, localizadas na cidade de São Bento (PB), Carlos colocou em prática conceitos adquiridos na formação, como trabalho colaborativo, eliminação de barreiras e potencialização das singularidades dos estudantes.


Com alguns esportes adaptados, como basquete sentado e futebol com vendas, o docente conseguiu um “aprendizado fantástico” para todos, garantindo que ninguém ficasse para trás. De acordo com o professor, que também é atleta paralímpico campeão cearense de parabadminton, a formação continuada é essencial para os educadores e proporciona uma ampliação de processos e metodologias para trabalhar de forma inclusiva:

Eu vi novos horizontes para a minha prática em educação física, atividades que eu posso colocar aos meus alunos. Sou muito grato às formações e indico sempre que posso aos colegas e professores.

Em sua unidade, as estratégias pedagógicas têm sido facilitadas pelo trabalho colaborativo entre os professores e a equipe de apoio pedagógico, que estão sempre buscando informações e formas de oferecer um ambiente inclusivo a todas e todos.


Fonte: Diversa